01/12/2015
Guia de Raças: Border Collie Guia de Raças: Border Collie

Características do Border Collie

O caráter do Border Collie, como afirma em sua descrição, é completamente relacionado com a ocupação oferecida ao cão, fato que é de particular relevância para o proprietário do Border Collie de trabalho, que desenvolveu muito e evidencia esses instintos.  O Border Collie não deve simplesmente perseguir as ovelhas, mas deve também ser capaz de cercá-las e encaminhá-las. O cão não se move em linha reta, mas corre e pode tomar longos desvios para cercar e reunir o rebanho.

O cão que não tem coragem instintiva ou a capacidade de cercar o gado fica mais próximo das ovelhas e promove simplesmente o susto sem agrupamento. Os cães que tem a capacidade de executar o cerco em torno das ovelhas sabem exatamente como manter a distância adequada entre si e o rebanho.

O olhar é uma das qualidades inigualáveis do Border Collie e certamente o recurso mais interessante da raça. É um olhar hipnotizante, que o cão direciona para as ovelhas, levando-as a ficar no lugar. Esse mesmo olhar costuma ser dirigido para outros animais e também outros cães, que costumam se sentir incomodados e um tanto irritados com esse comportamento.

O poder do Border Collie é a capacidade de dominar e impor sua autoridade sobre as ovelhas sem promover latidos agressivos ou atos violentos como morder. Um Border Collie com poder mantém o controle com absoluta autoridade sobre o seu rebanho, sem assustar ou aterrorizar as ovelhas. Essa característica nata destes cães foi a primeira que realmente se sobressaiu sobre as demais raças no fim do século XVIII, época em que os cachorros utilizados para o trabalho de pastoreio costumavam latir muitos e morder as ovelhas durante os trabahos.

A inteligência do Border Collie não pode ser comparada com a do ser humano. Está tão intimamente ligada ao instinto de trabalho e ao grande desejo de agradar, que não pode ser descrita em um contexto diferente. No cão de trabalho, não exatamente a inteligência, mas sim o tipo inatamente inventivo de corrigir e agir diante de qualquer decisão que envolva a tarefa para a qual ele foi criado. É maravilhosamente claro, embora seja humanamente confuso, por causa da sua fixação sobre uma hierarquia funcional e prática.

O Border Collie, em casos muito específicos, pode ser um animal bastante difícil de treinar. Por serem muito sensíveis, precisam estar em absoluta sintonia com o seu mestre, o resto das pessoas podem não ser capazes de obter a sua atenção ou obediência. Cães da raça que serão utilizados como animais de estimação devem ser socializados desde filhotes e ser manipulados por todos os membros da família para evitar este problema.

Com relação ao equilíbrio do cão, devemos especialmente ressaltar a importância da relação entre exercício, saúde mental e saúde física deste cão. Não pense que uma caminhada diária com ele na coleira irá proporcionar exercício suficiente para o Border Collie. O ideal seria encontrar uma área aberta e segura (como um quintal bem cercado), em que o seu cão possa correr livremente por um tempo.

Portanto, se o seu lar for um apartamento, é bem possível que um cão desta raça específica não se adapte bem, sofrendo por não ter espaço suficiente para praticar suas atividades. O mais indicado é que os cães Border Collie tenham uma área grande para brincar, e isso pode tanto ser provido à ele por meio da moradia em uma casa de quintal grande ou por passeios em regiões abertas – já que, conforme explicado anteriormente, pequenos passeios com o cão preso a coleira não são o bastante para que ele gaste toda a energia que precisa.

Extremamente ativos e inteligentes, os cães Border Collie já têm, hoje, uma categoria separada para a sua raça específica dentro das competições do esporte canino chamado de Agility – já que, os Border são considerados tão espertos, que não seria justo colocá-los para competir ao lado de outras raças.

Excluída a possibilidade de que o cão não consiga gastar toda a energia que precisa, o Border Collie é um animal absolutamente fiel e dedicado aos seus donos – demonstrando claramente o seu sentimento de prazer em realizar tarefas e comandos específicos quando ordenados por seu proprietário. Focado, o cachorro desta raça costuma se entregar por completo ao que lhe é proposto; sendo, ainda, muito desconfiado em relação a desconhecidos e bastante protetor e ciumento com seus donos mais próximos.

Qualquer coisa que não cumpra as suas necessidades pode levá-lo a ser um animal neurótico e infeliz. Com relação ao alojamento, se for longe da casa, não se surpreenda se o seu Border Collie de estimação passar mais tempo no telhado de sua casa do que dentro dela. Se o cão se sentir entediado e frustrado em seus instintos de pastoreio, pode vir a apresentar comportamentos muito perigosos.

Originalmente chamado de Sheepdog (na tradução: cão pastor de ovelhas), o Border Collie passou a ter seu nome atual em meados de 1900, sendo batizado desta forma em função do seu local de origem – próximo às fronteiras escocesa e inglesa. Reconhecida como cão de exposição em 1995 pela American Kennel Club, a raça é, hoje, uma das mais conhecidas e queridas pelos amantes de cachorros em todo o mundo.

Fonte: http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/border-collie/